Doenças Tratáveis

Doenças autoimunes:

Artrite reumatóide, esclerose lateral amiotrófica, esclerodermia, psoríase, lúpus eritematoso, esclerose múltipla, polimiosite, dermatomiosite, policondrite, polimialgia, diabetes mellitus tipo 1, doença de Crohn entre outras.

Doenças não-autoimunes (dores e inflamações):

Hérnia de disco, espondilose cervical, lombalgias, entorse de tornozelo, esporão do calcanhar, sinusite, bursites, incontinência urinária, tendinites, cotovelo de tenista, artrose, diverticulose, tinitus, síndrome do túnel do carpo, quelóides, cistos mamários e ovarianos, quisto de Baker, gota, paralisia facial, dedo de gatilho, atrofia muscular, neuralgia do trigêmeo, TPM, fibromialgia, inflamação do nervo ciático, dores de cabeça, enxaquecas, trauma do cóccix entre outras.

Origem das doenças autoimunes

A tolerância aos tecidos próprios se desenvolve desde o início, na fase de maturação do sistema imunológico do feto. Durante a geração dos linfócitos ocorre um efeito crucial no futuro do sistema imune de cada indivíduo: é a fase de recombinação genética, momento em que aos poucos os genes que armazenaram a informação necessária para a síntese das imunoglobulinas se combinam entre si, permitindo desta maneira a criação de milhões de imunoglobulinas capazes de reconhecer infinidades de antígenos.

Esse processo é totalmente aleatório e determina que, com as múltiplas combinações possíveis, surjam anticorpos que reconheçam antígenos próprios dando lugar aos linfócitos autorreativos. Na maioria das pessoas não se produz fenômenos de autoimunidade, pois existem mecanismos de autotolerância que impedem a ativação dessas células. O fracasso disso pode desencadear uma reposta autoimune.

Causas das doenças autoimunes

- Antígenos próprios;

- Reação cruzada;

- Clones anormais.

Antígenos próprios

Situações clínicas podem liberar antígenos próprios capazes de provocar reposta imune, como por exemplo, no caso de um infarto do miocardio em que, posteriormente, surgem anticorpos contra a musculatura cardíaca. Igual sucede em uma tireoidectomia parcial detectando-se anticorpos contra a tiróide.

Reação cruzada

Certas bactérias são portadoras de determinados antígenos similares aos do hospedeiro. Na artrite reumatóide os anticorpos produzidos frente ao estreptococo A reagem na forma cruzada com as articulações.

Clones anormais

Existem situações anormais nos remédios que produzem efeitos secundários capazes de alterar a clonagem normal dos linfocitos B ativados, produzindo-se anticorpos contra os glóbulos vermelhos. Por exemplo: anemia hemolítica devido à penicilina.

Fonte: INSTITUTO LATINOAMERICANO DE APITERAPIA



Clique aqui para voltar

             • Lageado – São Paulo – SP - Contato: (11) 2961.8942 | 7614.5491

• Vila Formosa – São Paulo – SP - Contato: (11) 8169.5717
Abelha Saúde - © Todos os direitos Reservados
Site desenvolvido por